ADJ Promove Campanha Nacional de Retinopatia Para Prevenção

Com o intuito de reverter o índice de 77% das pessoas com diabetes tipo 2 não aderentes ao tratamento* e que desenvolvem com mais facilidade uma série de complicações do diabetes, entre elas a retinopatia diabética, a ADJ Diabetes Brasil realiza a Campanha de Retinopatia Diabética.

A iniciativa está aberta para todas as pessoas e consiste na realização de três eventos virtuais. A primeira edição será realizada em Foz do Iguaçu, no interior do Paraná, no dia 25/agosto, às 19h; a segunda será em Cajazeiras, na Paraíba; e a terceira em Botucatu, interior de São Paulo.

Além de sensibilizar as pessoas sobre os riscos da retinopatia diabética, a campanha também tem como objetivos educar as pessoas para que mudem seus hábitos e consigam controlar as taxas de glicemia e incentivar a visita ao oftalmologista regularmente, para realizar os exames preventivos de visão.

No Brasil, a retinopatia afeta exatamente 4 milhões de indivíduos, correspondendo de 35% a 40% dos mesmos com o diabetes**. As altas taxas de glicemia degeneram a retina e, com o tempo, a visão pode ser afetada, sendo a principal causa de cegueira.

A retinopatia diabética pode ser de dois tipos: a não proliferativa, forma inicial da doença que é detectada quando os vasos do fundo do olho estão danificados, causando hemorragia e vazamento de líquido da retina, chamado de Edema Macular Diabético; e a proliferativa, que é diagnosticada quando os vasos da retina ou do nervo óptico não conseguem trazer nutrientes para o fundo do olho e, por consequência, há formação de vasos anormais, que causam o sangramento. Na pandemia, a procura por exames e pelo oftalmologista caiu drasticamente, fato bastante preocupante, diante da importância do diagnóstico precoce da complicação.

Para acessar os eventos, que serão transmitidos ao vivo, basta entrar em: (https://www.facebook.com/ADJDiabetesBrasil e https://www.youtube.com/adjdiabetesbrasil).

Para a realização da Campanha de Retinopatia, a ADJ Diabetes Brasil conta com o patrocínio da Novartis, da Roche e da Allergan.

 

 

Fontes: *Estudo clínico controlado e randomizado realizado na Clínica Ambulatorial de Diabetes do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo avaliou a adesão dos indivíduos com diabetes tipo 2 ao tratamento, mostrando que 77,2% não eram aderentes. Faria HTG et al. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 2014;2:257-263.
** Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (2019-2020): https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/DIRETRIZES-COMPLETA-2019-2020.pdf

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *