Hiperglicemia, Hipoglicemia, Como Evitar

SAIBA COMO FUNCIONA O SEU CORPO

A Hipoglicemia e a Hiperglicemia são duas condições opostas, mas que trazem grande desconforto para quem tem diabetes. Entenda o que acontece com o seu corpo em cada uma e aprenda a evitá-las.

Glicemia é a quantidade de glicose que circula em seu sangue em determinada hora do dia. Quando ela está alta, ou seja, quando temos mais açúcar no sangue do que o esperado para aquele momento, é chamada de hiperglicemia. Quando está abaixo do normal, estamos diante de uma hipoglicemia.

hiperglicemia ocorre em qualquer pessoa com diabetes, em maior ou menor intensidade, e pode estar ligada à efetividade do tratamento recebido.

Os sintomas variam em função do grau de hiperglicemia. Confira os principais: sede e apetite acima do normal, desejo frequente de urinar, cansaço, perda de peso, alterações na visão, entre outros.

Hipoglicemia à noiteJá a hipoglicemia se manifesta sempre que cai o nível de açúcar e a disponibilidade de glicose para as células. Principais sintomas: fome, cansaço, mal-estar, suor frio, confusão, tremores, dificuldade para enxergar, taquicardia até a perda de consciência.

Entre os principais fatores que levam a hipoglicemia estão: uso inadequado dos medicamentos, excesso de exercícios físicos, dieta pobre em carboidratos e consumo de bebidas alcoólicas.

Importante vc saber  IMPORTANTE VOCÊ SABER

Quem tem diabetes deve respeitar sempre os horários das refeições, definir os exercícios físicos mais adequados com seu médico e tomar corretamente seus medicamentos.

E atenção, pois a hipoglicemia pode ocorrer durante a noite, sem que se perceba, por isso faça um lanche leve antes de dormir e evite praticar exercícios à noite. mas tome cuidado para não usar hidratante entre os dedos dos pés.

Não deixe de comentar com o seu médico se alguma das situações acima persistir, apesar dos cuidados que você tomou.


 

O CAMINHO DO AÇÚCAR EM NOSSO ORGANISMO

O sistema digestivo é responsável por processar os alimentos para que seus nutrientes possam ser absorvidos por nosso organismo.

O açúcar presente ou adicionado em nossa alimentação também passa por “essa usina” até se transformar na glicose que será usada pelas células. Quanto mais ingerimos açúcar, mais glicose vai “sobrar” no sangue e mais alta ficará nossa glicemia.

Bolinha-Laranja     O papel do fígado

O fígado é outro órgão do sistema digestivo que desempenha uma função essencial no controle do açúcar no sangue. Ele armazena a glicose que não está sendo usada no momento e a libera à medida que o corpo necessita produzir energia (durante os exercícios, por exemplo).

Já o fígado das pessoas que têm diabetes é capaz de armazenar pequenas quantidades de glicose, uma vez que a maior parte continua a circular pelo sangue.

 Bolinha-Laranja     Pâncreas, simplesmente essencial

Pâncreas

O pâncreas é uma glândula do aparelho digestivo que desempenha um papel fundamental em várias funções do organismo. Além de produzir enzimas que ajudam a digerir os açúcares e as gorduras no intestino, o pâncreas produz hormônios essênciais no controle do açúcar no sangue.

Bolinha-Laranja     As ilhotas de Langerhans

Localizadas no pâncreas, essas estruturas possuem dois tipos de células que atuam no controle da glicemia: as células-alfa, que produzem o glucagon, e as células-beta, responsáveis pela produção da insulina.

Nas pessoas com diabetes tipo 1, as células-beta não conseguem produzir insulina. Nas pessoas com diabetes tipo 2, estas células também vão perdendo essa capacidade com o tempo.