A Revolução da Insulina

Banting and Colleague  Universidade Toronto  Insulina

Bolinha-Laranja  A Revolução da Insulina

Em 1910, quando se confirmou que o metabolismo dependia de uma substância química produzida pelo pâncreas, abriu-se o caminho para a descoberta da insulina nas primeiras décadas do século XX.

Em 1920, um cirurgião ortopedista chamado Frederick Banting, que havia atuado no corpo médico canadense durante a 1ª Guerra Mundial, interessa-se pela ideia da insulina, após ler um artigo científico de Moses Barron, relacionando as ilhotas de Langerhans ao diabetes. Banting decide, então, ir a Toronto para realizar suas pesquisas. Sob a supervisão de John Macleod e auxiliado pelo estudante Charles Best, de apenas 22 anos, Banting realizou experiências com cachorros nos laboratórios da Universidade de Toronto. A manipulação química era feita por James Bertrand Collip.
Em poucos meses, a equipe conseguiu isolar extratos de insulina e produzi-los em massa. A descoberta e a manipulação da insulina, o hormônio que reduz o nível de glicose no sangue, iriam permitir que os pacientes de diabetes levassem uma vida normal.

Em 1922, a primeira paciente a receber insulina por via injetável é uma garota de 15 anos. O objetivo era evitar que suas funções fossem alteradas em contato com o estômago

Bolinha-Laranja  Prêmio Nobel Para Uma Terapia Mundial

Banding Nobel

Em 1923, Banting e Macleod recebem o Nobel da medicina pela descoberta da insulina. Banting divide o seu prêmio com o jovem Charles Best e Macleod faz o mesmo com o químico Collip. A polêmica entre os cientistas da equipe, que trocaram acusações nos anos posteriores à descoberta da insulina, rendeu até filme (Glory Enough for All, 1988). Os pesquisadores não solicitaram a patente da descoberta: a terapia com a injeção de insulina espalhou-se rapidamente pelo mundo, salvando a vida de milhares de pacientes. No mesmo ano, foi concedida a primeira licença a Eli Lilly and Company, de Indianápolis, Estados Unidos, para fabricação de insulina.

Em 1924, surgem as primeiras insulinas não-sintéticas, derivadas diretamente do pâncreas de animais (bois e porcos). Em 1936, a modificação na forma de produção de insulina melhora o nível de pureza e reduz os efeitos adversos. É o surgimento da insulina cristalina.

Em 1966, com o avanço da tecnologia, é possível transformar a insulina suína em uma insulina semelhante à humana, ajudando a melhorar a qualidade de vida das pessoas com diabetes.


Bolinha-Laranja  TRINTA ANOS DE AVANÇOS IMPORTANTES

DMD

Desde a década de 80, as insulinas e os dispositivos para sua aplicação vêm se aperfeiçoando a cada ano e aumentando o conforto de quem tem diabetes. Os aparelhos de monitorização ajudaram a tornar o controle da glicemia mais eficaz. Há mais de uma década, o mundo vem se mobilizando para aumentar a conscientização sobre o diabetes e a importância de conter o seu avanço. E, desde 2007, o Dia Mundial do Diabetes entrou no calendário mundial da OMS, com o lema Unidos pelo Diabetes.