As Primeiras Associações de Pacientes

As Primeiras Associações de Pacientes

A partir da descoberta da insulina, em 1921, os pacientes podiam levar uma vida normal seguindo um tratamento universal e adequado.

O próximo passo seria a união em busca de assistência específica e troca de informações. O pioneirismo ficou por conta do médico Ernesto Roma, que fundou a primeira associação do mundo em Portugal, em 13 de maio de 1926.

A Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal era originalmente voltada para pacientes sem recursos e tinham por objetivo fornecer insulina gratuita a quem não tinha condições de comprá-la e fornecer informações sobre dieta e cuidados com os pés.

As primeiras campanhas de conscientização pública e pela não discriminação das pessoas com diabetes surgiram poucos anos depois. Um boletim difundia novidades e serviços, incentivando a organização de entidades em outros países.

Na Alemanha, a Casa do Diabético foi fundada em 1930. A Associação Britânica do Diabetes nasce em Londres em 1933 e, a partir de 1946, publica o The Diabetic Journal. A Austrália é a terceira nação a criar a uma associação nacional, em 1937.

A associação dinamarquesa abre em 1940 e funda uma revista especializada, além de organizar jornadas dedicadas a crianças com diabetes.

Também em 1940 é criada a American Diabetes Association (ADA) em Ohio, nos Estados Unidos, originalmente voltada só para os médicos. A revista surge oito anos depois. Em 1949, a ADA organiza o primeiro acampamento de verão para jovens. Graças ao entendimento do papel da insulina no organismo, descrita desde a Antiguidade e estudada por cientistas de vários países, foi possível salvar a vida de milhões de pessoas em todo o mundo.